> Melninas: Fevereiro 2017

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Metamorfose

Eu arrumei meu quarto no sábado de manhã e pela primeira vez em muito tempo, eu senti que começava a ficar livre de você. Não grande parte, claro, uma dor não sara hoje. Mas sara. Um dia, eu sei que sara. Hoje, depois de vários processos de reencontro, eu senti que o processo de te livrar de mim pode estar dando início. Como uma borboleta quando está saindo do casulo, mas apenas uma pequena parte dela começa a sair. Mas isso já é um começo, não?

Eu arrumei meu quarto no sábado de manha - com as janelas abertas, devo ressaltar - escutando Beatles no ultimo volume, sem chorar (e sem vontade de chorar), e planejando o que eu ia fazer a tarde e a noite. Há quanto tempo que eu não via vida no decorrer do dia? Como dizia Clarisse, tive um súbito reconhecimento de mim mesma várias vezes ao dia e no fim, descobri que a solidão é definitivamente um luxo.



Hoje ainda não, mas um dia eu vou lembrar de você e essa sensação de abandono não vai estar em mim. Vou lembrar apenas de que o que aconteceu, é porque tinha que acontecer e a vida é assim mesmo. Um dia, eu vou acordar e você não vai ser o meu primeiro pensamento. Nem o segundo. Talvez, nem até mesmo o terceiro. Talvez chegue o dia em que eu não pensarei em você.

Escrevo isso ao meio-dia de um sábado depois de ter arrumado meu quarto e nem sei se vou publicar, é só mais um desabafo de alguém que acha que está indo bem. Eu estou, você também está. Estamos indo muito bem. <3

Metamorfose: s.f. Mudança ou alteração completa no aspecto, natureza ou estrutura de alguém ou de alguma coisa; transformação.


***


ONDE ME ENCONTRAR


quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Novidades Editoriais Editora Chiado | Janeiro

Sou parceira há um tempo da Editora Chiado e esse é um post mais rápido pra mostrar alguns dos lançamentos da mesma para o início do ano. Foram muitos lançamentos, e eu escolhi apenas alguns para mostrar aqui, pra vocês.

























Selecionei ao todo 7 livros e acho que a maioria de poesia. Aqui vocês conferem a capa, a sinopse e o link para o site.

"Oníria" são pedaços de uma vida, aconchegada entre o passado e o presente, entre o sono e o sonho. Inquietações que nos apanham de olhos ainda cerrados, desligadas da realidade apenas na medida certa.

Esta é uma obra de sobressaltos que podiam ser os nossos, povoada por desassossegos que são de todos. Feita de momentos que, ao romper da aurora, nos fazem seguir em frente. 
Link AQUI. 


Marta cedo percebeu que era diferente.
Possuidora de uma rara beleza, impressionava homens e mulheres.
A sua vida percorreu caminhos que nunca procurou. Violada, sujeita a um aborto violento, que lhe traçou o destino.
Só queria ser feliz, lutou toda a vida por isso, se o destino existe, ele foi madrasto para ela. 
Conheceu a prostituição mais decadente, mas queria ser feliz, lutou tenazmente até o conseguir.
Quando o conseguiu… LINK AQUI.

 Quase Que, de Gylmar Chaves, é um livro de muitas perguntas e algumas respostas sobre a experiência das relações sentimentais.
Generosa, ágil, direta, a lírica de Gylmar Chaves modula, em cem poemas, a teia de ansiedades, encantamento e dor que marcam o encontro amoroso. Uma poética para ser lida atenta e prazerosamente.



Imagine receber uma proposta de um emprego numa cidade totalmente distante da sua, tendo que deixar amigos, paqueras, e uma vida toda, para uma oportunidade que talvez nem desse certo?  Mariana, com seu jeito louco de ser, topou encarar essa aventura, encheu a mala de sonhos e com a esperança de um futuro brilhante. Mas o que fazer quando no seu primeiro dia, na sua primeira entrevista, você tropeça e cai bem na frente de um gato, que por sinal será seu novo gerente?  Sempre animada, mas totalmente atrapalhada, junto com seus amigos, ela vai correr atrás dos seus sonhos, e simplesmente fazer da vida o seu próprio conto de fadas.       LINK AQUI.

“Curtas” é uma compilação de pequenos textos cujas personagens se movem em espaços que vão da India a remotas aldeias de Portugal. Desvela-se no tipo de escrita uma natureza cinematográfica, de ritmo acelerado, que se conjuga com os géneros satírico e dramático. Uma das estórias nasceu de um desenho. Outros nasceram de outras estórias. 
LINK AQUI. 










 REI E A PRINCESA tem como cenário o fantástico Castelo dos Mouros, na Serra de Sintra. É no Monte da Lua que uma odalisca viaja através do legado histórico que a civilização muçulmana nos deixou. É também onde um rei cristão e uma princesa moura dissertam sobre a guerra e a PAZ.

O REI E A PRINCESA é um livro que traça as principais características da fundação do Reino de Portugal forjada a sangue, suor e lágrimas. Mas também existe uma ligação à capacidade criativa de energia pacificadora e a misteriosas lendas árabes e celtas com rituais mágicos.
Terá havido aqui um milagre de partilha e amor? LINK AQUI 


Imagine que está sentado numa mesa de café com um grupo de amigos. Entre um trago e outro de bebida surge um assunto, aleatório e de senso comum, que é desenvolvido entre todos. Atiram ideias, expressam a sua opinião, e, inevitavelmente, riem.
No final, o Mundo não ficou melhor, não há conclusões arrebatadoras, não há certezas irrevogáveis. Apenas continua a haver uma mesa de café, que há-de albergar novos amigos, novas conversas, e novas visões sobre o que nos rodeia.
Assim é o conteúdo deste livro. Ao longo de quase três anos, Tânia Rei partilhou no Jornal Terra Quente e no informativo digital Notícias do Nordeste autênticas conversas de café, em devaneios que oscilam entre a crónica e o texto de opinião.
Puxe uma cadeira, e venha conversar. LINK AQUI

-----

E aí, o que acharam das minhas escolhas? Se interessaram por algum? Confesso que os que mais me interessaram foi o Marta e o Más linguas, boas conversas. 

Você também pode gostar de: Resenha: Feliz por Nada (Martha Medeiros)

ONDE ME ENCONTRAR


Por favor, clique aqui e responda nossa Pesquisa de Público 2017.




segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Recebido Paris Elysees - Sexy Woman Night

Que eu sou umra grande fã da Paris Elysees vocês já estão cansados de saber, até já resenhei outro perfume deles aqui (clique para ver). Dessa vez, recebi o Sexy Woman Night e já estou louca pra testar.

 A cor do perfume, seu frasco e tudo nele contido é muito lindo, dá vontade de colocar em todo lugar. 

Essa é a descrição: 
"A feminilidade, sexualidade e mistério do tradicional Sexy Woman de Paris Elysees agora em uma versão ainda mais intensa e embriagante. Sexy Woman Night é um floral oriental com notas de figo verde, bergamota e flor de laranjeira, traz o frescor das notas de Âmbar e musgo branco. A doçura da Baunilha mostra o lado feminino da fragrância, sem deixar o mistério dos aromas atraentes de lado.

Uma fragrância delicada e inebriante para mulheres que gostam de causar impacto e mostrar que estão presentes sem se quer pronunciar uma palavra."



 A caixa acompanha o frasco na beleza, lembrando toda a magia da noite. Eu não testei ainda, mas assim que o fizer resenho aqui.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Esse foi um post rapidinho, só para vocês verem o recebido. Em breve trago resenha. E vocês? Quais perfumes gostam da Paris Elysees? Já conheciam esse?

Post anterior: TAG: Complete a frase

ONDE ME ENCONTRAR


Por favor, clique aqui e responda nossa Pesquisa de Público 2017

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

TAG: Complete a frase

Faz muito tempo que eu não respondo nenhuma tag aqui, e fui indicada pela Raíssa Giacomin do blog Luzes de Fevereiro pra responder a tag Complete a frase. Então vou responder, sempre gostei tanto de tags <3 E sabe o que eu descobri? Que respondi uma tag quase igualzinha a essa em 2014! Foi muito legal poder comparar as respostas. Clique aqui para ver. 

1. Sou muito... Dramática. Sim, demais. Taurina com a lua em câncer não é mole, não. Vejo um drama em tudo, isso culpa das mpb da vida, dos livros que leio e dos filmes que assisto kkkk. Mas sério, sou muito, se reclamar eu até choro kkk <3

2. Não suporto... Ver pessoas maltratando outras, ou mesmo se achando superior. Tenho horror a machismo, homofobia ou qualquer tipo de discriminação. Horror, sério.

3. Eu nunca... li/assisti Harry Potter. Desculpa, só veio isso na minha mente, haha. Mas é que todo mundo na face da terra ama esses filmes e eu nunca nem assisti. Sou louca, gente.

4. Eu já briguei... várias vezes. Desculpa, não é que eu seja briguenta, só não sei guardar as coisas pra mim kkkk. Não consigo guardar as coisas, acabo falando o que não devia e arrumando confusão. É uma coisa que estou trabalhando e já estou melhorando (juro!).

5. Quando criança... eu era louca pela Turma da Mônica. Ainda sou até hoje, estou sempre lendo os gibis e vendo os desenhos. Sério, sou louquinha. Meu sonho de consumo é assinar a Turma da Mônica.

6... Nesse exato momento... eu estou fazendo esse post ouvindo o CD Problema Meu da Clarice Falcão pela 6ª vez só hoje (juro). Viciada, gente!

7. Eu morro de medo... de filme/serie de terror. Não consigo ver porque morro de medo. Mas um medo da vida? Tenho medo de ser frustrada, sabe? Tipo, de não ser feliz na vida. 

8. Eu sempre gostei... de flores, poesia, miçangas, essas roupas estampadas e longas, essas coisas de gente de humanas kkkkk. Não tenho pra onde correr, gente! Nasci pra sofrer com as mpb e as poesias da vida kkkk.

9. Se eu pudesse... escutaria todas as músicas indie/mpb do mundo. Sério, sou muito louca pra escutar todas as músicas do mundo. Mas, se eu pudesse, de verdade, qualquer coisa, tiraria todas as crianças da rua. Sério, não suporto ver, pra mim é desumano. O ser humano complicou tanto o mundo. Cês já pararam pra pensar por que é que você está nesse momento sentada no celular enquanto tem alguma criança com fome por ai, sendo que vocês são absolutamente iguais e merecem as mesmas coisas? É desumano. Queria ter o poder de fazer algo.

10. Fico feliz quando... cumpro meu dever e fico satisfeita comigo mesma. Seja arrumar o quarto, estudar, fazer post pro blog, quando fico com a sensação de dever cumprido é bom demais <3

11. Se eu pudesse voltar no tempo... mergulharia menos em pessoas rasas. Mergulhei tão de uma vez que fui de cara no chão. Com tantos naufrágios, a gente aprende uma coisa: não se deve economizar amor, mas também não se deve desperdiçar.

12. Adoro... ai gente, que complexo! haha, é muito difícil pensar em uma só coisa que você gosta. Então vou escolher a coisa mais simples: adoro poesia, adoro minha família, adoro ter fé, adoro flores, a vida, e a nossa resiliência.

13. Quero muito viajar... primeiramente, pelo Brasil. Quero conhecer meu Nordeste a fundo, quero conhecer meu pais. Ah, e fora, morro de vontade de conhecer Amsterdam. 

14. Eu preciso... desencanar mais das coisas e não me perder tanto pelas pessoas. Aprender que amor é uma coisa preciosa, e aprender que as pessoas não são da gente. E aprender que vou ser feliz e que mereço algo na mesma intensidade que eu dou. Preciso de tanta coisa...

15. Não gosto de ver... descaso com as coisas. 

Ahh, é isso! Não vou indicar vários blogs, quero que todos vocês sintam-se indicados por mim. Podem fazer no blog e dizer que fui eu quem indiquei, e não esqueçam de comentar o link aqui pra eu ir ver <3

E vocês? Se identificam com alguma resposta? O que mudariam? Clique aqui para ver o post da Raíssa

Você também poderá gostar de: TAG: De tudo um pouco

ONDE ME ENCONTRAR


Por favor, clique aqui e responda a nossa Pesquisa de Pública 2017



segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Como você me roubou de mim

Certo. Tudo bem. Eu consigo. É preciso sensatez para escrever sobre nós, sobre você, ou simplesmente sobre eu e você (quem sabe o nós nunca existiu). Mas aqui estou eu. Não sei se estou pronta, mas tem coisa que só sai da gente por escrito. Escrever sobre você é como enfiar meus 10 dedos na garganta pra ver se vomito teu ser pra fora de mim. A propósito, devo parar de usar metáforas? Você sempre soube como eu as amava. Eu gostava de metáforas. Você gostava das entrelinhas. Eu sempre soube que a gente não combinava.

Mas esse texto não é pra falar sobre as metáforas, as entrelinhas, ou os métodos que eu estou testando para esquecer você. Mas, a propósito: não estão funcionando. Hoje eu pensei em você o dia inteiro. Assim como em todos os outros dias. Mas este texto não é sobre isso. Esse texto é pra falar sobre o dia em que eu me olhei no espelho e não me reconheci. Sobre como você me roubou de mim.

Acho que não sei bem como isso começou. Não tivemos um começo. Mas eu ainda consigo lembrar de quem eu era antes de você. Era uma menina segura - tinha muito o que melhorar ainda, mas era segura -, não deixava que me colocassem pra baixo. Não me doava por pouca coisa. Tinha a plena convicção de quem eu era, do que eu queria, quais eram meus sonhos, minhas perspectivas. Eu me amava. Definitivamente, eu me amava.

Mas aí, você chegou. Chegou com esses olhos castanhos que olhavam até o fundo da minha alma e eu tenho certeza que podiam enxergar tudo, tudo que nem eu tinha visto ainda. Chegou com esse abraço casa que eu poderia morar e chegou com esse jeito que eu me apaixonei na primeira semana. Eu te amei em uma semana o que ninguém nunca havia amado em uma vida. Chegou. Simplesmente chegou.

E aí, tudo foi se desconstruindo, sabe? As cercas que eu havia colocado há muito tempo, você derrubou. Todas as medidas de segurança que eu havia construído durante muito tempo, foram apagadas. Você despertou cada pedaço de insegurança e fragilidade que eu nem sabia que tinha. Eu precisei tanto de você que esqueci de precisar de mim também. E eu te dei tanta verdade, me dei tanto, eu me doei tanto, me encaixei em você. Te dei intensidade. Me tirei de mim, pra que coubesse você.

Por isso que eu acho que, na verdade, a culpa não é sua. A culpa é minha pra deixar que você ocupasse tanto espaço em mim. Eu procurava por pedaços desse amor, de você. Procurava por ao menos meios-sorrisos e meias-palavras. 

Eu te dei tanto amor, e tanta intensidade, que acho que você se assustou. Dizem que quem não é acostumado com muito amor costuma fugir quando o recebe. Acho que foi isso que aconteceu. Eu era muito profunda e você não sabia nadar, então eu fui ficando rasa, sendo que era pra você ter se adaptado e ter aprendido a nadar. Então acho que te assustei.

Mas agora, agora eu vou me achar. Tenho procurado há alguns dias por mim mesma. Já achei alguns pedacinhos espalhados por aí. Tenho certeza que vou me achar por completo um dia. Enquanto isso, eu posso apenas ficar aqui e chorar tua falta, que ainda dói muito. Eu sei que você me fez um pouco de mal. Mas eu ainda amo você. Agora que aprendi a não me perder, volta? Podemos achar uma direção juntos. Enquanto isso, deixa eu ficar aqui, enrolada nas cobertas, só um pouco mais, só enquanto tu ainda dói em mim.

Post anterior: Dica: EP Vício
+ TEXTOS: utopia | Recomeços | por amor, eu fui | Ele, garoa. Ela, furacão | Mudou, menina!

ONDE ME ENCONTRAR

Facebook | Instagram

Por favor, clique aqui e responda nossa Pesquisa de Público 2017.


quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Dica: EP Vício

Quem me conhece sabe que eu sempre amei de paixão as músicas da Manu Gavassi, mas ela já há algum tempo não vinha lançando nada, por isso eu deixei essa paixão um pouco de lado. Mas em dezembro de 2015 ela lançou um EP maravilhoso, chamado Vício (e eu realmente me viciei). E, depois de 1 ano, eu venho aqui apresentar pra quem ainda não conhece, haha <3

Como acho todas as músicas maravilhosas demais, vou falar de uma por uma, afinal, são apenas 5. A própria Manu disse que nesse ep, as músicas estão em ordem, ou seja, é como se ele contasse uma história. E acho que por isso que eu fiquei tão apaixonada e me viciei tanto: me identifiquei com a história (e vocês já vão saber o porquê).

1. Camiseta (clique pra ver o clipe): Camiseta é o início da história. O capitulo 1, podemos dizer assim. Como se a gente tivesse (vou falar assim como se nós fossemos a personagem principal, tá, gente? haha) tentando se acostumar que a pessoa foi embora, e ainda não entendeu muito o que aconteceu. "Meu amor, quem foi que congelou seu coração? Algum tempo atrás, você faria uma canção. Mas você me deixou só.". Sabe, quando a pessoa muda, e você simplesmente não sabe porque aconteceu? Então. Aqui, a gente ainda tem alguma esperança que a pessoa volte, sabe? Aquela parte do fim que você simplesmente se nega que aquilo tudo acabou. "Eu não vou desistir de nós dois, eu preciso acreditar que a gente sempre volta." Pois é, somos dessas. 

O clipe foi lançado em 17 de novembro e conta com a participação de várias youtubers, como Nah Cardoso, Maju, e muitas outras.

2. Vício (clique para ver o clipe): Vício é quando você vai vendo as coisas por outro lado, sabe? Quando você vê que não adianta mais chorar, nem se humilhar, simplesmente acabou. "Me desculpe, eu já cansei de chorar. Eu até ficaria pra me humilhar, mas nosso tempo já deu." Mas você sabe também que, no fundo, ainda sente muita falta da pessoa e comete aquelas coisas de ligar de madrugada, correr atras, a gente sabe, né? "Eu quero amar você e eu não consigo evitar (...) O seu número eu apaguei, pra evitar de te ligar de madrugada, eu sei. Eu esqueci, foi eu que terminei. Sinto muito, eu não te ligo mais." É, gente, quem nunca? Eu sempre. 

O clipe também é maravilhoso!

3. Direção (clique para ver o clipe): Direção é a minha favorita de todo o ep, tanto a música quanto o clipe. Nessa música, prevalece aquela fase de realmente cair na real e ficar na bad, quando você vê que realmente não há volta, que aquele amor não é bom pra você, e fim. É aquilo. Não adianta nem eu colocar apenas algumas partes da letra aqui, que a letra é inteira maravilhosa. Mas "Eu já nem durmo mais, só fecho os olhos e penso em você. Só fecho os olhos e tento entender o que me trouxe aqui. Sei que te amo mais, bem do que eu te falei há um mês, e se eu não falo mais dessa vez, é porque finalmente entendi" É a música que mais me identifico. Porque sabe quando você está confusa? Sabe que ama, mas não sabe se aquilo é certo ou não, e a pessoa faz você se perder, mas você ainda a quer muito. "E cada vez que eu não ligar porque me dói ouvir sua voz. Agora, o tempo vai passar, talvez não exista nada pra falar. Se por acaso , um dia encontrar o que perdeu, eu vou estar aqui." Porque, apesar de tudo, você ainda ama muito a pessoa, e vai estar ali se ela se encontrar. Eita, falei muito nessa, né? haha

O clipe também é o meu favorito dela, acho que é o mais lindo. Ela gravou com o Rafa Vitti, e é lindo demais!

4. Farsa: Farsa é a favorita das maioria das pessoas. Eu gosto muito, mas minha favorita eu já disse qual é, haha. Mas essa música é um tapa na cara da pessoa, onde a gente se dá conta que estava era perdendo tempo, que a outra pessoa era uma farsa. Onde o ego da outra pessoa aumentou tanto, que simplesmente não cabe mais você. E você não entende o porquê daquilo tudo, já que antes a pessoa precisava de você. "Vou fugir pra bem longe do seu ego. (...) Lembrando se você estivesse só, você estaria aqui. E acordava de noite chorando, me pedindo pra nunca te deixar." Sabe, quando a pessoa mudou tanto, que esqueceu quem era. "Relaxa, eu não vou revelar a sua farsa, ninguém vai saber. Relaxa, eu não faço mais parte dessa farsa, não. Ninguém vai saber que a dois meses atrás chorava, me implorando, me pedindo pra ficar." Ouça o resto dessa letra lacradora!

Farsa ainda não tem clipe, apesar de ser o mais esperado.

5. Sozinha (clique para ver o clipe): Sozinha, assim que lançou o ep, era minha música favorita, me identifiquei na hora. Mas com o tempo, e com aquelas coisas que vocês sabem acontecendo, acabou perdendo o sentido pra mim. Mas agora, com isso tudo, voltou a fazer muito sentido, e vocês já vão saber o porquê <3 Aquela fase em que você finalmente percebe que não precisa de alguém que te complete, que você é suficiente pra você mesma. Traz uma reflexão linda de como parece que a gente precisa sempre esta amando alguém, sabe? "A gente ama até sangrar, até não dar mais pra aguentar. A gente até achar o próximo pra amar. A gente ama outra vez, e é tão certo dessa vez..." Como ultima musica do ep, está me ajudando muito a perceber que sozinha eu sei que posso ser o que eu sonho, e que tudo passa. "Sozinha com meus sonhos, que não param de crescer (...) Finalmente, agora eu posso ver que sozinha eu sei que posso ver o que eu sempre quis e era tão difícil com você." Obrigada, Manu <3 

O clipe é bem simples, e não deixa de ser lindo! <3

É isso. No nome da cada música você pode ouvi-las, é só clicar. Vocês gostaram das músicas? Tem outra visão sobre elas? Me contem! Beijos <3

Post anterior: Favoritos de Janeiro

ONDE ME ENCONTRAR

Facebook | Instagram

Por favor, clique aqui e responda a nossa Pesquisa de Público 2017



Copyright © 2014 | Design e Código: Amanda Salinas | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo