> Melninas

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Resenha: Faça Amor, Não Faça Jogo (Ique Carvalho)



Informações do livro                                                                     
 Faça amor, não faça jogo


Ique Carvalho
223 páginas
Crônicas; Romance

ONDE COMPRAR
SINOPSE: Viver a plenitude do amor é o desejo senão de todas, ao menos da maioria das pessoas. Amar e ser amado incondicionalmente, contar com o apoio de alguém para as horas difíceis e para os momentos alegres, e saber que independentemente do que fazemos, alguém estará ao nosso lado simplesmente pelo que somos é o ideal de vida de muitos.Viver esse amor na prática, no entanto, nem sempre é fácil. E é exatamente sobre felicidade, vida e amor que Ique Carvalho fala neste livro. O autor, que começou escrevendo em seu blog e já tocou o coração de milhares de pessoas que se envolveram e se emocionaram com suas palavras, descreve com perfeição o amor que muitos procuram e poucos realmente encontram. E ele fala do amor em todas as suas expressões: desde o romântico entre duas pessoas até o mais puro e verdadeiro dos laços familiares, que ele tem com seu pai e mentor.Como as relações humanas são frágeis e complicadas, os relacionamentos tornam-se difíceis, o que nos faz buscar a felicidade nos lugares ou nas pessoas erradas. Mas o autor nos faz enxergar a vida de forma diferente. Faça amor, não faça jogo é um lembrete de que, no jogo do amor, não é necessário haver ganhadores ou perdedores. Basta olhar e aceitar novos paradigmas e acreditar no que diz seu coração. E vivenciar isso de verdade.
--- 

Hey! No post de primeiros livros lidos do ano, eu falei sobre o Faça amor, Não faça jogo, do Ique Carvalho. Desde que o li que eu quero resenhar pra cá, mas sempre faltou tempo. Agora, vou falar sobre esse livro que tenho certeza que vocês vão amar e chorar muito - como eu.

Ique Carvalho nunca foi o mais popular ou mais bonito conforme os padrões da sociedade. Porém, o que é a popularidade quando você tem um coração bom, cheio de amor pra dar e um abraço acolhedor? 

Sobre o que é: Na obra, nós somos presenteados com 44 textos sobre o amor, a amizade, a família, enfim, a vida. Cada texto pode te trazer uma coisa diferente (ou muitas coisas num texto só). Você vai rir, vai chorar, vai refletir, e no fim de cada um vai querer ainda mais. Não há um sobre único e exclusivo, pois este livro é sobre a essência da vida. 

Pra quem não conhece, o Ique Carvalho começou em um blog, o The Love Code, onde segue a essência do livro. Eu não o conhecia, nem ao blog. Fui apresentada ao livro pela minha irmã, que o comprou e recomendou. Me apaixonei logo de primeira.

Atualmente, é fato que nós não temos o costume de ler e prestigiar autores nacionais. Compramos livros gringos porque estão na moda, enquanto algumas obras maravilhosas estão batendo na nossa porta, como o livro do Ique. 

Nem sei o que falar de um livro quando me encantei tanto. Há muito tempo não lia algo que me tocasse a alma, como esse livro tocou. Cada texto sobre a vida me arrancava mais lágrimas e eu só queria ler mais. 

É raro achar alguém que fale sobre o amor assim como ele é: sem idealizações ou felizes para sempre, apenas o amor. Eu, como a maior boba romântica que você respeita, vou levar esse livro pra vida. Nele, é resgatado o valor das pequenas coisas, das coisas mais bobas possíveis, e mostra o amor nos detalhes.

E eu não falo só do amor romântico, não. A gente tem uma mania de associar amor a apenas amor romântico, né? Pois, nesse livro, pra mim, a relação mais bonita é entre Ique e seu pai. 

Parece que quanto mais eu gosto do livro, menos eu sei falar dele. É que tenho medo de que em palavras, eu não consiga expressar o que este livro significou pra mim. Eu acho que, nele, a gente realmente sente aquilo que passamos a vida inteira procurando em músicas, em poesias, filmes. O que passamos a vida tentando colocar em palavras. 

Ah, cada texto vem com uma trilha sonora pra você escutar enquanto lê o texto. No youtube, inclusive, já tem várias playlists prontas exclusivas do livro. E é incrível o quanto cada música combina com o texto, o que só torna a leitura mais singular.

Aprendemos sobre a vida, sobre o amor, a amizade, a família, sobre o essencial. Eu já o tinha lido duas vezes, e li a terceira pra fazer a resenha. Consigo chorar todas as vezes. Não sei dizer qual o meu texto favorito porque todos - sem exceção - me tocam de uma forma diferente. Eu o li da primeira vez em apenas uma noite. Mas trouxe alguns trechinhos pra mostrar aqui:

E você que está aí, lendo este texto.                                                                                       Se você tiver uma namorada,                                                                                                um grande amor,                                                                                                            desejo que você nunca a deixe partir.                                                                                 E se, por algum motivo, qualquer que seja,                                                                    você a deixar,                                                                                                               lembre-se que sem ela você viverá como eu.                                                                Vazio de amor,                                                                                                                         e cheio de saudade.

Eu recomendo esse livro pra todo mundo! É um livro rápido, você acaba de ler rápido, mas o impacto é enorme. Ah, o Ique vai lançar o próximo dele agora. A pré-venda começa dia 22 de agosto e eu já estou super ansiosa pelo meu.

Agora só mais uma foto porque este livro merece. 


E vocês? Já conhecem o Faça amor, não faça jogo? O que acham? Se interessam por livros assim?

***

ÚLTIMO POST: Quando você chegou

ONDE ME ENCONTRAR

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Quando você chegou

Ouvi alguns poetas dizerem que só devemos escrever quando temos inspiração. Outros, dizem que escrever não deve ser inspiração, mas necessidade. Não necessidade mundana; de fora. Mas necessidade do dentro, do ser. 

Eu como poeta fracassada que me meto a ser, acho que a inspiração vem da necessidade do ser de escrever. Eu não preciso de inspiração pra falar de você. Só de te ver sorrir me vem mil versos ruins. Mas são versos, vá lá. Eu recitaria pra você até o pior dos versos, se isso fosse significar que você ficaria aqui.



"Esqueci de contar a parte boa da história: foi quando você chegou". Essa frase pode resumir o que eu senti quando conheci você, não? Eu cheguei naquele lugar como quem cai de paraquedas em um lugar inesperado, fruto de um pouso forçado. Eu sei que não queria estar ali e um rosto amigo era a última coisa que eu esperava encontrar no meio de tantas paredes de falsidade e máscaras em rostos em que por mais que olhássemos, não conseguiríamos ler nem um pouco de ninguém.

Como você sobreviveu ali? Teus olhos castanhos leram até o fundo da minha alma assim que me viram, eu tenho certeza. E talvez você soubesse desde que me viu. Não posso mentir e ser clichê ao ponto de te dizer que te amei desde o momento que te vi, pois nós dois sabemos que isso não é verdade (eu nem gostava de você pra começo de conversa, vá lá). Aquela tua superioridade virgiana irritava cada milímetro do meu sol em touro (mesmo que ainda não soubesse o significado de nada disso).

Então, depois daquele "oi" meio desconcertado da minha parte - eu realmente queria conhecer você -, fiquei encantada. A superioridade não se desmontou: na verdade, descobri até um certo egocentrismo ali, me desculpa. Mas eu me apaixonei por cada centímetro dela. Então, foi ali que me vi num cenário em que eu contava os dias pra ir pra aquele lugar em que antes via o estágio do inferno. Me vi te procurando em todos os lugares e me vi levantando gostando um pouco mais da vida a cada dia.

Quando eu via você vindo em direção a mim com aqueles olhos castanhos que podiam me ler por completo (tenho certeza disso), eu só conseguia pensar "Oi, sorte!". E eu realmente pensei que as coisas estavam finalmente dando certo pra mim. Quando tu chegou foi como se eu saísse de um mundo preto e branco pra um mundo que tivesse cor. A nossa cor. Tu trouxe cor pra mim e eu só consigo agradecer. Quando tu chegou e me tirou do chão, e pintou meu céu, eu não conseguia pensar em outra coisa a não ser na imensa sorte que eu tive de conhecer alguém que me tocasse na alma como tu me tocava.

Oi, sorte! Quando tu chegou foi assim. Não me faz ter que escrever algo de quando tu for embora.

***

ONDE ME ENCONTRAR


quarta-feira, 5 de julho de 2017

Wishlist: Vestidos da FormalDressAustralia

Long Formal Dresses

Olá! Vocês sabem que eu amo fazer Wishlist, e a loja dessa vez é a FormalDressAustralia, que me contatou para trazer vários "Cheap Formal Dresses" (clique para ir) pra cá! 




Eu selecionei alguns dos meus vestidos longos favoritos de lá. Selecionei 3 de cada categoria: Long, Short e Mermaid

1. Long


1. $163.43 2. $132.16 3. $110.85

Os longos são sempre os meus favoritos! Lindos esses, né? E o melhor é que eles tem das mais diversas cores e também tamanhos. 

2. Short

1. $106.58 2. $89.53 3. $105.87

Os curtos também são lindos, né?

3.  Mermaid


Lindos, né?

E vocês? Já conheciam o site? Qual vestido mais gostaram? Comentem!

***

ONDE ME ENCONTRAR

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Livros lidos em Janeiro - Fevereiro

Uma das minhas Metas para 2017 era a de ler 12 livros durante o ano, e vejam que incrível: Já estou quase lá! Este ano, estou bem mais focada em crescer em mim mesma, e isso inclui estudos, cultura e tudo que vocês podem imaginar. Assim, este ano, já li 11 livros! Estou lendo o 12º e vocês podem conferir isso no meu perfil do Skoob! Enfim, tentando voltar a rotina do blog, quero mostrar pra vocês todos os livros que li. Vou começar com os lidos em Janeiro e Fevereiro!

 Certo, confesso que os 4 primeiros do ano eu só reli, já os tinha lido antes. Mas conta, né? haha. Afinal, de lá pra cá não reli mais nenhum. Ah, e pretendo resenhar alguns deles (ou todos) durante o ano. Vamos ver.


1. Não se apega, não - Esse eu só reli, pra passar um tempo. Acho que li ele em um dia. Não é um livro que sou muito fã, mas dou algumas risadas com ele e adoro pra passar o tempo.


2. Não se iluda, não - Acho que reli um dia depois do anterior, novamente só pra passar o tempo mesmo. Ainda não li o terceiro, mas quero muito. 

3. A seleção - Reli esse também porque é um dos meus livros favoritos da vida! A história me faz viajar muito, amo amo amo!

4. A elite - Com certeza meu favorito da coleção de A Seleção. Os momentos vividos por America nesse são maravilhosos, e eu confesso que chorei um pouco.

5. Faça amor, não faça jogo - Esse bateu o recorde de livro que mais chorei na vida. É perfeito, recomendo pro mundo. É um livro de textos, e cada texto vem com uma recomendação de música pra você escutar enquanto lê. Quer combinação melhor? Perfeito! Primeiro que pretendo resenhar.

6. Memórias Póstumas de Brás Cubas - Um que estava na minha estante há muuito tempo implorando pra ser lido! Demorei muito a começar, confesso, mas quando comecei não parei mais. Machado de Assis é simplesmente incrível!! A ironia, o realismo, a escrita perfeita dele nos deixa hipnotizados. Foi o segundo de muitos que ainda lerei desse homem. Apaixonada!

Esses foram os lidos nos primeiros dois meses do ano. Se eu for resenhando, vou editando os posts com os links. Recomendo cada um deles, todos ótimos!

E vocês? Já leram algum desses ai? Conhecem? Qual gostam mais?

***

Último post: Barquinho de Papel

ONDE ME ENCONTRAR

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Barquinho de Papel



Eu sempre te disse que você era mar. Eu sempre gostei de metáforas e essa sempre foi a minha preferida pra você, você sabe. Tuas semelhanças com o mar eram tantas e essa era a situação perfeita para uma fã de metáforas e metida a poeta e a escritora como eu. Você era perfeito pra um poema. Mas eu não conseguia achar versos. Não conseguia porque tu já era o poema em si. Cada pedacinho de ti era um poema que eu gostaria de recitar.

Mas devemos voltar ao mar. Foi ele que me trouxe aqui e é nele que tudo acaba, afinal. Eu poderia listar tuas semelhanças com o mar. I. Extremamente profundo [isso eu nunca soube te explicar. Você é profundo e é isso. Acho que nunca entenderei] II. Existem coisas que ainda não foram descobertas. Assim como no mar, existem pedaços de você que nem você mesmo conhece. Lembra quando eu te disse que você tinha medo disso tudo? Eu estava certa e você apenas não conhecia essa sua parte. III. O azul. Cê não tem os olhos azuis, mas o castanho deles me fazem querer ir de encontro ao azul do mar. IV. Eu nunca soube nadar e isso fala por si só. 

Naquela terça-feira você descobriu que era mar e que eu era só um barquinho de papel. Eu sempre fui barquinho de papel que sofre naufrágio nessas águas. Eu estou aprendendo a me recuperar e esse texto é só pra eu lembrar do naufrágio que meu barquinho sofreu nas tuas águas. Um barquinho tão frágil não sobreviveria a um agito dessas águas revoltadas e que não sabem pra que lado ir. Esse era você: um mar de águas agitadas que afinal não sabe pra que direção deve correr. 

Eu me perdi num mar só de ondas tuas. Pudera tu mesmo vir me salvar?

***

Post anterior: amadora

ONDE ME ENCONTRAR

Facebook : Instagram
Copyright © 2014 | Design e Código: Amanda Salinas | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo