> Melninas

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Livros lidos em Janeiro - Fevereiro

Uma das minhas Metas para 2017 era a de ler 12 livros durante o ano, e vejam que incrível: Já estou quase lá! Este ano, estou bem mais focada em crescer em mim mesma, e isso inclui estudos, cultura e tudo que vocês podem imaginar. Assim, este ano, já li 11 livros! Estou lendo o 12º e vocês podem conferir isso no meu perfil do Skoob! Enfim, tentando voltar a rotina do blog, quero mostrar pra vocês todos os livros que li. Vou começar com os lidos em Janeiro e Fevereiro!

 Certo, confesso que os 4 primeiros do ano eu só reli, já os tinha lido antes. Mas conta, né? haha. Afinal, de lá pra cá não reli mais nenhum. Ah, e pretendo resenhar alguns deles (ou todos) durante o ano. Vamos ver.


1. Não se apega, não - Esse eu só reli, pra passar um tempo. Acho que li ele em um dia. Não é um livro que sou muito fã, mas dou algumas risadas com ele e adoro pra passar o tempo.


2. Não se iluda, não - Acho que reli um dia depois do anterior, novamente só pra passar o tempo mesmo. Ainda não li o terceiro, mas quero muito. 

3. A seleção - Reli esse também porque é um dos meus livros favoritos da vida! A história me faz viajar muito, amo amo amo!

4. A elite - Com certeza meu favorito da coleção de A Seleção. Os momentos vividos por America nesse são maravilhosos, e eu confesso que chorei um pouco.

5. Faça amor, não faça jogo - Esse bateu o recorde de livro que mais chorei na vida. É perfeito, recomendo pro mundo. É um livro de textos, e cada texto vem com uma recomendação de música pra você escutar enquanto lê. Quer combinação melhor? Perfeito! Primeiro que pretendo resenhar.

6. Memórias Póstumas de Brás Cubas - Um que estava na minha estante há muuito tempo implorando pra ser lido! Demorei muito a começar, confesso, mas quando comecei não parei mais. Machado de Assis é simplesmente incrível!! A ironia, o realismo, a escrita perfeita dele nos deixa hipnotizados. Foi o segundo de muitos que ainda lerei desse homem. Apaixonada!

Esses foram os lidos nos primeiros dois meses do ano. Se eu for resenhando, vou editando os posts com os links. Recomendo cada um deles, todos ótimos!

E vocês? Já leram algum desses ai? Conhecem? Qual gostam mais?

***

Último post: Barquinho de Papel

ONDE ME ENCONTRAR

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Barquinho de Papel



Eu sempre te disse que você era mar. Eu sempre gostei de metáforas e essa sempre foi a minha preferida pra você, você sabe. Tuas semelhanças com o mar eram tantas e essa era a situação perfeita para uma fã de metáforas e metida a poeta e a escritora como eu. Você era perfeito pra um poema. Mas eu não conseguia achar versos. Não conseguia porque tu já era o poema em si. Cada pedacinho de ti era um poema que eu gostaria de recitar.

Mas devemos voltar ao mar. Foi ele que me trouxe aqui e é nele que tudo acaba, afinal. Eu poderia listar tuas semelhanças com o mar. I. Extremamente profundo [isso eu nunca soube te explicar. Você é profundo e é isso. Acho que nunca entenderei] II. Existem coisas que ainda não foram descobertas. Assim como no mar, existem pedaços de você que nem você mesmo conhece. Lembra quando eu te disse que você tinha medo disso tudo? Eu estava certa e você apenas não conhecia essa sua parte. III. O azul. Cê não tem os olhos azuis, mas o castanho deles me fazem querer ir de encontro ao azul do mar. IV. Eu nunca soube nadar e isso fala por si só. 

Naquela terça-feira você descobriu que era mar e que eu era só um barquinho de papel. Eu sempre fui barquinho de papel que sofre naufrágio nessas águas. Eu estou aprendendo a me recuperar e esse texto é só pra eu lembrar do naufrágio que meu barquinho sofreu nas tuas águas. Um barquinho tão frágil não sobreviveria a um agito dessas águas revoltadas e que não sabem pra que lado ir. Esse era você: um mar de águas agitadas que afinal não sabe pra que direção deve correr. 

Eu me perdi num mar só de ondas tuas. Pudera tu mesmo vir me salvar?

***

Post anterior: amadora

ONDE ME ENCONTRAR

Facebook : Instagram

sábado, 20 de maio de 2017

amadora

]

Eu prometi que não te escreveria mais, XXX.
Eu juro que a vontade está passando. Mas eu ainda preciso escrever que tu ainda faz parte de mim.
Cê não sai de mim.
E o engraçado é que cê não tá aqui.

Cê vai sair de mim?
Eu procuro palavras pra te escrever [mesmo que tu não leia] porque eu preciso tirar o resto que tem de ti em mim. Resto? Resto é quando sobra, e cê ainda tá inteiro aqui dentro.

Eu choro no banho porque é como se minhas lágrimas lavassem um pouco do que tem de você aqui, como se você escorresse pelo ralo.

Metáforas.

Eu gosto de metáforas. Eu nunca entendi as suas. Mas eu amava. É que cê gostava mais das entrelinhas que das metáforas.

Não entendia suas metáforas quando você disse que nós éramos duas máquinas que pareciam que funcionavam perfeitamente iguais por fora. Mas nós não éramos opostos?

[meu deus, ai vem as lágrimas de novo. me desculpa]

Nós não éramos opostos? Então que metáfora era aquela? Entrelinhas. Entrelinha é uma coisa que eu não entendo. Mas eu respeito. Você sempre deixava as coisas nas entrelinhas e eu nunca soube ao certo o que cê sentia por mim.

Como naquela sexta a tarde que tu disse que eu era "com certeza mais que uma amiga". Amiga? Não podemos ser amigos, tem tanta coisa envolvida: o beijo, o abraço, tua reação ao meu cheiro, meu desmontar ao teu abraço, meu choro na tua calça, tua mão na minha perna, aquela música que nos descreve e a primeira vez que cê quis me beijar.

Mas acho que eu não nasci pra ser amada.

Eu gritava "não" pro mundo e repetia teu nome diversas vezes [baixinho pra ninguém escutar] enquanto me afogava nas minhas próprias lágrimas e só conseguia pensar: eu não nasci pra ser a.m.a.d.a.

Eu não sei ser boa o suficiente.
Eu não sei ser algo que cê sinta falta.
Eu não quero teu carinho. Eu não quero o teu amor. Eu não quero "não perder o contato contigo". Eu quero você dentro de mim. Mas quanto de mim tu aguenta em ti?

Eu não nasci pra ser amada.
Me desculpa ter escrito isso depois desse tempo.
Tu ainda tá em mim, ao contrário do que eu pensava.
Tu ainda tá em mim.
Me desculpa.
Eu sinto muito.

E o título desse texto é "amadora" porque é isso que eu sou.

Amadorismo: s.m. Falta de técnica a realização de um trabalho.


***
Post anterior: 
+ TEXTOS: naufrágio | Metamorfose | Como você me roubou de mim | utopia | Recomeços | por amor, eu fui | (+) 

segunda-feira, 20 de março de 2017

Wishlist - TOP 3 vestidos da StyleWe

Há um tempo fiz uma wishlist da loja gringa StyleWe (StyleWe) e vocês gostaram muito! Tornaram o post um dos mais acessados de todo o blog. Dessa forma, resolvi trazer indicações da loja pra cá mais uma vez! Dessa vez, trouxe 3 vestidos lindos de lá, que eu adorei! Ah, também visitem a JustFashionNow.

Some time ago I made a wishlist of the Gringa StyleWe (StyleWe) store and you guys really liked it! They made the post one of the most accessed of the whole blog. That way, I decided to bring indications from the store here again! This time I brought 3 gorgeous dresses from there, which I loved! Oh, also visit JustFashionNow.

Vocês já estão cansados de saber o quanto eu amo vestidos, e não poderia deixar de trazê-los. Também amo roupas brancas, por isso trouxe dois dessa cor. Mas antes, vejam esses que a StyleWe selecionou: two piece white dress.

You are already tired of knowing how much I love dresses, and I could not fail to bring them. I also love white clothes, so I brought two of that color. But first, look at the ones that StyleWe selected: two piece white dress.



Sempre gostei desse tipo de vestido mais "leve".

I always liked this kind of "light" dress.

1. $39.00 2. $98.40 3. $54.00

Lindos, né?

Beautiful right?

Ah, eles também fizeram um post sobre os tipos de Body e como usá-los. Para ver: stylewe blog: Pear-Shaped Body Type dresses

Oh, they also did a post on Body Types and how to use them. To view: stylewe blog: Pear-Shaped Body Type dresses.

Gostaram do post? Já conheciam a loja? Qual vestido gostaram mais? Me contem, até o próximo post!

Like the post? Did you already know the store? Which dress did you like the most? Tell me, until the next post!

ONDE ME ENCONTRAR




quinta-feira, 16 de março de 2017

naufrágio


as vezes, quando eu tenho um súbito reconhecimento de mim mesma, eu começo a pensar que eu só conheci o amor quando eu conheci você.
e isso é cruel, eu sei
mas eu te absolvo de toda a responsabilidade que há em ensinar o amor a alguém.
eu te absolvo.
eu te absolvo como a juíza que eu nunca fui.
eu te absolvo de toda a culpa das minhas lágrimas que insistem em cair quando escurece
mesmo quando eu passo a claridade dizendo que está tudo bem
depois de todos os desentendimentos
saiba que eu te absolvo

eu te absolvo eu te absolvo eu te absolvo
de tudo que eu te disse
quando eu te disse que te amava mais do que amava a mim mesma
foi cruel
e eu te absolvo disso também.

quando eu te disse que eu te pertencia, você não precisa me ter se não quiser
e quando você disse que a culpa era de nós dois
quando eu percebi que você tinha pressa em ir
minhas células
ressoaram
dor

mas hoje eu te absolvo.
ninguém tem que lidar com a responsabilidade de ter alguém e eu me entreguei pra você sem te perguntar se você estava preparado
eu sempre fui 80.
tu me desculpa hoje?

me desculpa por me entregar e me desculpa por me apaixonar pelo seu jeito de andar de falar e de ser
me desculpa por não colocar virgula nos meus textos
me desculpa por fazer textos que eu sei que você não gosta
me desculpa por aparecer assim e causar toda essa bagunça que eu sei que você não queria
me desculpa por só conseguir vomitar isso em forma de escrever d e s e s p e r a d a m e n t e pra você
me desculpa por te amar
me desculpa por enxugar as tuas lágrimas
e me desculpa por deixar tu enxugar as minhas.

mas eu te absolvo de toda e qualquer culpa.
porque tu é mar.
e mar não tem culpa.
o mar nunca teve culpa dos naufrágios.
eu sou só uma viajante.
e meu barquinho era de papel.

eu te absolvo hoje.

Naufrágio: s.m. Destruição ou a perda de um navio. Os naufrágios têm diversas causas. Um navio pode ser destruído pelo fogo, pode afundar, ou pode colidir com outra embarcação. As causas de alguns naufrágios permanecem desconhecidas.


***
Post anterior: Playlist de Fevereiro

ONDE ME ENCONTRAR


Por favor, clique aqui e responda nossa Pesquisa de Público 2017 <3
Copyright © 2014 | Design e Código: Amanda Salinas | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo